terça-feira, 19 de agosto de 2014

O texto na sala de aula

Mais que muito lido, O texto na sala de aula (coletânea organizada por João Wanderley Geraldi e publicada em 1984), foi o interlocutor silencioso e constante em milhares de histórias nas quais um professor brasileiro decidiu dar um novo sentido ao seu trabalho, e com isso encontrou - ou reencontrou - sua vocação pedagógica.
Isso justificaria, por si só, que O texto na sala de aula fosse lembrado, debatido e repensado hoje.
Melhor ainda que isso aconteça como acontece neste livro publicado por ocasião de seus trinta anos, em que falam vozes díspares, que refletem histórias de vida e perspectivas diferentes, mas têm em comum o privilégio de ter vivido a história.
Este livro encontra-se disponível para venda na livraria da ALB: alb.com.br/livraria.
Promoção de Lançamento: de R$57,00 por R$40,00

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

segunda-feira, 11 de agosto de 2014


"The Academic Literacies' approach to writing support in Universities"
Brian Street (King’s College – Londres)
Dia 26 de Agosto, 14h, no Anfiteatro do Instituto de Estudos da Linguagem/Unicamp
Brian Street é professor emérito de educação linguística no King’s College London e
professor visitante na Universidade da Pensilvania (EUA). É um dos principais pesquisadores
na área de letramentos, sendo um dos principais teóricos dos Novos Estudos do Letramento.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

VI Seminário Linguagem e Escola - Tema: Letramento literário

VI Seminário Linguagem e Escola - Tema: Letramento literário
11 de setembro de 2014 
Inscrições abertas: 30,00 
 
Promovido pelo Grupo de Pesquisa FALE - Formação de professores, Alfabetização, Linguagem e Ensino
 
Programação e inscrições em:
 
 
Atenciosamente,
Comissão Organizadora do VI Seminário Linguagem e escola
Grupo de Pesquisa FALE
Faculdade de Educação - UFJF

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

domingo, 3 de agosto de 2014

Moção de Repúdio


Moção de repúdio à atuação da empresa de consultoria privada Falconi junto à Rede Municipal de Ensino de Campinas

 

A assembleia geral da ALB – Associação de Leitura do Brasil – vem a público manifestar o seu repúdio ao ataque à educação pública representado pela parceria firmada entre a Secretaria Municipal de Educação de Campinas e a empresa Falconi – Consultores de Resultados. O convênio tem por objetivo a transferência do modelo de gestão empresarial  para o serviço público.

O plano de trabalho da Falconi junto às escolas da Rede Municipal prevê a realização de diagnósticos dos problemas das unidades, a definição de metas, o acompanhamento das ações dos educadores para a consecução das metas, a padronização de procedimentos identificados como exitosos. Em tal modelo os indicadores de qualidade se restringem as variáveis do âmbito interno das escolas e a seus sujeitos, silenciando sobre as responsabilidades do poder público. Negando a complexidade do processo educativo escolar, o choque de gestão privada elege como principal indicador de qualidade os índices de desempenho dos alunos em testes de avaliação padronizados.  O modelo sustenta a imposição de metas definidas por técnicos sem a participação da comunidade escolar, metas estas que não contemplam quaisquer indicadores que não possam ser mensuráveis.

Na lógica da gestão privada são descartados princípios caros à história da Rede Municipal de  Ensino de Campinas tais como a gestão democrática e a formação humana concebida de forma ampla. Os valores do mercado – eficiência, produtividade, competitividade – substituem os valores que sustentam a esfera pública e dos direitos: participação, solidariedade, co-responsabilidade na qualificação do espaço público.

Os educadores da Rede Municipal de Campinas vêm se empenhando no fortalecimento do caráter público da educação oferecida na Rede Municipal através do trabalho coletivo de construção dos projetos político pedagógicos nas unidades, das diretrizes curriculares das diferentes modalidades de ensino, da avaliação institucional participativa. A qualificação da educação pública também se dá através da participação dos docentes em várias frentes de formação continuada e na luta pela implementação da Lei do Piso, mediante a instituição de uma jornada condizente com as atribuições docentes. Essa história e o amplo leque de variáveis envolvidas na construção de uma escola pública de qualidade social são desqualificados pela Falconi quando a empresa propõe um projeto de trabalho sustentado na ideia de que a solução para os problemas educacionais restringe-se à simples aplicação de um modelo de gestão de resultados. Estudos acadêmicos e as experiências de várias redes de ensino têm demonstrado que parcerias como a firmada entre a empresa Falconi e a Secretaria Municipal de Educação de Campinas representam a abertura dos serviços públicos aos interesses do mercado, resultando num grave ataque à educação pública.

É por todo o exposto que, reunidos em assembleia geral, repudiamos a parceria em questão.

sábado, 2 de agosto de 2014

Revista Alegrar

Nova edição da revista Alegrar.
www.alegrar.com.br

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

SEDis UFBA 2014 – Seminário de Estudos do Discurso

Estão abertas as inscrições para o SEDis UFBA 2014 – Seminário de Estudos do Discurso.
Tema: Discursos e poderes na contemporaneidade
Período do Evento: 24 a 26 de novembro de 2014
Período de Inscrição: 15 de junho a 15 de agosto de 2014 (Com trabalho)
15 de junho a 15 e3 outubro de 2014 (Ouvinte)
A sua participação é fundamental.

quinta-feira, 31 de julho de 2014

IX CONGRESSO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM LÍNGUA PORTUGUESA DA FACULDADE DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA UERJ.


APRESENTAÇÃO

 

IX CONGRESSO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM LÍNGUA PORTUGUESA DA FACULDADE DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA UERJ, que tem como título PORTUGUÊS: LÍNGUA DO MUNDO, refletindo sua proposta de ser um evento congregando aqueles que, através do mundo, estudam, ensinam ou se interessam pela Língua Portuguesa, vai ocorrer de 3 a 7 de novembro de 2014, na FACULDADE DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA UERJ, em São Gonçalo, próximo ao Rio de Janeiro

Nesta edição, pretendemos estimular e valorizar aqueles trabalhos que abordem a herança linguística da comunidade internacional da língua portuguesa, bem como o estudo, ensino e aprendizado do português como língua estrangeira, fatores que juntos fazem com que a língua portuguesa seja a terceira língua mais falada do mundo.

Nosso Congresso, PORTUGUÊS: LÍNGUA DO MUNDO, constitui uma oportunidade única de ampliar seus horizontes acadêmicos e culturais, de compartilhar ideias e novidades com seus colegas ou de conhecer o trabalho de especialistas e pesquisadores, principalmente por abordar o português em seus múltiplos aspectos: como língua nacional, como língua estrangeira, como elemento de tradução, como fundamento para a descrição linguística e como instrumento de criação estética, através de seus pensadores e  artistas.

O Congresso PORTUGUÊS: LÍNGUA DO MUNDO terá conferências, palestras, simpósios, comunicações e recitais. Pretendemos contar com alguns dos maiores professores e pesquisadores de língua portuguesa, bem como com autores de valor, pois a terceira língua mais importante do planeta não produz só conhecimento e saber, mas também entusiasmo e beleza. 

Participe deste evento e descubra novas perspectivas sobre a língua portuguesa, que muito enriquecerão seu universo conceitual e profissional.

Para quem quiser se apresentar no evento, há duas categorias:

COORDENADOR DE SIMPÓSIO, para professores que tenham o título de Mestre ou Doutor, que deverá enviar um resumo do simpósio e um resumo da comunicação de cada membro do simpósio (inclusive da sua própria), no mínimo três e no máximo quatro comunicações, de quinze minutos cada, com vinte minutos após o simpósio para perguntas.

COMUNICADOR, para professores no mínimo Graduados, preferencialmente vinculados a um simpósio, mas sem descartar comunicações independentes, que deverão ser enviadas posteriormente.

Os resumos e trabalhos, bem como as apresentações orais, deverão ser em PORTUGUÊS.

Os interessados em participar como COORDENADOR DE SIMPÓSIO ou como COMUNICADOR devem enviar resumos com de oito a  quinze linhas para os e-mail dos Organizadores do Congresso: afraniogarcia@gmail.com ,
marcellouerj@gmail.com e mlwiedemer@gmail.com

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Especial 19o COLE - Vídeo Síntese do evento

Especial 19o COLE - Entrevista com Laerte Coutinho

Rádio Unicamp: Especiais Cultura 
trazem entrevista com cartunista Laerte



    A Rádio Unicamp apresenta mais uma edição do quadro Especiais Cultura. Laerte Coutinho, cartunista há mais de 40 anos e referência quando o assunto é questão de gênero e identidade, é o entrevistado da repórter Victoria Hugueney. Racismo, manifestações sociais, mídia, educação, tirinhas, e as barreiras e os desafios da transgeneridade como forma de expressão são temas dessa conversa que ocorreu durante a 19ª do Cole, realizado este mês na Unicamp. Ouça a íntegra do bate papo acessando http://www.rtv.unicamp.br/?audio_listing=victoria-monti-entrevista-o-cartunista-laerte-coutinho

    Usina: Ler e Contar/Contar e Ler


    domingo, 27 de julho de 2014

    Especial 19o COLE - Revista Linha Mestra n. 24 publica artigos completos das comunicações orais e mesas redondas




    http://linhamestra24.wordpress.com/


    Apresentação

    Revista Linha Mestra – Ano VIII. No. 24 (jan.jul.2014). ISSN: 1980-9026
    Esta edição da Revista Linha Mestra reúne textos apresentados no 19° Congresso de Leitura do Brasil (COLE), com o tema leituras sem margens. O COLE foi realizado entre os dias 22 e 25 de julho de 2014, organizado pela Associação de Leitura do Brasil (ALB), com apoio da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).
    A revista divide-se em duas partes: uma dedicada a artigos apresentados em mesas-redondas durante o congresso; outra dedicada a trabalhos das sessões de comunicação dos nossos conferencistas. A primeira, dos artigos das mesas-redondas, foi organizada em grupos de três trabalhos de acordo com a proposta de mesas-redondas enviadas por seus componentes. São cinco mesas com três trabalhos em cada uma delas, totalizando 15 artigos. A segunda, das comunicações, reúne 706 textos e representa a produção parcial dos nossos 1.009 conferencistas, pois nem todos enviaram o trabalho completo para avaliação e publicação neste periódico. Foram quase 2.500 participantes no 19o COLE.
    Mais informações sobre o evento encontram-se no site do COLE: http://www.cole-alb.com.br/
    A ALB e o Comitê Científico do 19° COLE compartilham, aqui, o material apresentado no congresso.
    Boa leitura!

    Especial 19o COLE - Reportagem da TVB - Record - Campinas

    segunda-feira, 21 de julho de 2014

    Especial 19o COLE - Revista Ponto - Editora SESI-SP







    Em linha com a parceria que a SESI-SP Editora tem com a Associação de Leitura do Brasil, trazemos nesta edição, que circulará no 19o Congresso de Leitura do Brasil (Cole), um resgate dos congressos anteriores e uma análise dos caminhos da educação e leitura no país. 



    domingo, 20 de julho de 2014

    Especial 19o COLE - Sessão Especial Perspectivas da Leitura no Brasil - 24/07

    Sessão Especial
    Perspectivas da Leitura no Brasil


    Dia 24/07/2014
    Moderadores:
    Luiz Percival Leme Britto - Universidade Federal do Oeste do Pará
    Alda Regina Tognini Romaguera - Associação de Leitura do Brasil/ Universidade de Sorocaba
    Antonio Carlos Rodrigues de Amorim
    Associação de Leitura do Brasil/FE Unicamp

    Horário: 13h45min às 15h
    Local: Auditório II do Centro de Convenções da Unicamp


    Tema: Leitura e liberdade - com quantas letra L se faz políticas públicas?
    Fabiano dos Santos Piúba Diretor de Livro, leitura, Literatura e Bibliotecas MInC
    Partimos de cinco premissas para pensar essa questão. O livro como produto cultural e expressão simbólica na difusão e acesso à cultura, ao conhecimento, à formação e à pesquisa, bem como de fomento para a economia criativa e para as indústrias culturais. A leitura como experiência e espaço de formação cidadã, logo deve se constituir como um direito. A literatura como expressão da diversidade. O leitor como sujeito central das políticas de educação e cultura. A liberdade como uma dimensão síntese para todas essas premissas, considerando a leitura como ato de liberdade.



    Horário: 15 às 16h30min
    Local: Auditório II do Centro de Convenções da Unicamp

    Tem gente fazendo sim! Políticas municipais de promoção da leitura

    Coordenador:
    Jason Prado, Leia Brasil – ONG de Promoção da Leitura


    As políticas de leitura no Brasil sofrem do mesmo mal: são sazonais, descontínuas e no mais das vezes inconsequentes em termos de ação e de resultados.
    Essas características abrangem os programas em nível federal, estadual e municipal. Neste último, diz-se até que as iniciativas dependem mais do sonho e do desejo daqueles que ocupam os cargos dirigentes (secretários de educação e cultura, principalmente) do que necessidades evidenciadas pelos representantes da sociedade civil. Esta mesa redonda pretende apresentar duas experiências de promoção e incentivo à leitura (em andamento), seus antecedentes e seus prognósticos, abrindo uma discussão a respeito da possibilidade de institucionalização das ações, impedindo que as mesmas desapareçam ao sabor do rodízio dos governantes. Além disso, através da fala de dois secretários, pretende também mostrar que, apesar da existência de várias dificuldades, ainda assim é possível “plantar sementes” que, se bem regadas no tempo, podem produzir leitores nas cidades brasileiras.



    Esméria de Lourdes Saveli
    Secretária Municipal de Educação de Ponta Grossa, PR

    Tema: Feira do livro como política de formação de leitores.
    page1image22936

    O atual Governo Municipal de Ponta Grossa delineou desde o início de sua gestão vem incentivando ações que promovam a leitura junto a todos os segmentos da cidade. Para tal, além de ações voltadas para a implantação de bibliotecas em todas as escolas da rede de ensino, promove, através da Secretaria de Educação, a capacitação dos professores (educação infantil e ensino fundamental) bem como a realização de uma feira do livro (anual) como forma de reunir e mostrar à comunidade os projetos de leitura oriundos das escolas bem como aproximar a comunidade de diferentes gêneros de livros e das novas tecnologias da escrita. A nossa fala buscará pormenorizar as ações positivas organizadas pelos professores bem como os resultados conseguidos até o presente momento.


    José Simões de Almeida Junior
    Secretário Municipal de Educação de Sorocaba, SP

    Tema: O feijão e o sonho: programas da Secretaria da Educação para a formação de mediadores de leitura na rede municipal de Ensino de Sorocaba
    Experiências e propostas de formação de leitores, no âmbito da Educação Básica nas escolas municipais, são conhecidas e muitas delas amplamente discutidas. Mesmo assim, implantar tais propostas como política pública no município não é simples e traz à tona a práxis da dialética entre o possível e o imaginado. Dentre as barreiras a serem ultrapassadas no dia a dia da máquina pública na rede municipal de ensino, encontramos as questões orçamentárias, as licitações, a descontinuidade política que se impõe com a alternância nos cargos executivos e legislativos, a falta de mediadores de leitura qualificados e estimulados, a resistência dos professores não leitores, etc. Já no espaço urbano são outros os desafios como a ausência de livrarias, sebos, bibliotecas, bancas de jornais, enfim, de lugares vinculados ao processo de leitura na cidade. Nesse contexto, a Secretaria da Educação de Sorocaba elaborou a proposta de formação leitores (Programa Escola Viva),desenvolvendo as seguintes ações: a formação continuada de mediadores de leitura nos projetos Salas de Leitura/Novos Olhares e Escola em Tempo Integral/Oficina do Saber/Eixo de Leitura e Leitores; na qualificação física das salas de leitura, na renovação do acervo, na abertura das salas de leitura das unidades escolares à comunidade, nos encontros dos professores e gestores envolvidos no programa com escritores, na organização uma feira anual de leitores, na realização de seminários e fóruns acerca do tema da cultura(seria cultura?) literária, na distribuição de livros (projeto: Esse livro é meu) e jornais (suplemento infantil) e na criação de bebetecas associadas 

    Especial 19o COLE - Sessão Especial Perspectivas da Leitura no Brasil - 23/07


    Sessão Especial
    Perspectivas da Leitura no Brasil
    Dia 23/07/2014

    Moderadores:
    Alda Regina Tognini Romaguera - Associação de Leitura do Brasil/ Universidade de Sorocaba
    Ubirajara Alencar Rodrigues - Associação de Leitura do Brasil/FE Unicamp
    Antonio Carlos Rodrigues de Amorim
    Associação de Leitura do Brasil/FE Unicamp
    Horário: 13h45min às 15h
    Local: Salão Nobre da Faculdade de Educação da Unicamp

    Tema: Leitura e Escrita de Qualidade para Todos
    Christine Castilho Fontelles - Diretora de Educação e Cultura - Instituto Ecofuturo
    No dia 30 de outubro pesquisadores, escritores, educadores, representantes do governo e de organizações não-governamentais reuniram-se na Escola Nacional de Administração Pública (Enap), em Brasília, para refletir sobre prioridades e estratégias que contribuam para a uma causa comum: que se leia, escreva e argumente com gosto e competência, tendo como ponto de partida um arcabouço analítico dos fatores determinantes da leitura que trazia as dimensões previstas no Plano Nacional do Livro e da Leitura (PNLL).
    A iniciativa para a realização desta oficina, intitulada “Leitura e Escrita de Qualidade para Todos”,
    aconteceu no âmbito da cooperação técnica entre o Instituto Ecofuturo, organização social fundada em 1999, e a Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE), que ofereceu apoio técnico para sua realização, sob a coordenação do pesquisador Ricardo Paes de Barros.
    Para subsidiar o debate foi elaborado o compêndio estatístico “Leituras em números”, que contém a compilação dos principais dados disponíveis em pesquisas nacionais e internacionais sobre o hábito de leitura do brasileiro. A dinâmica do encontro envolveu a distribuição dos participantes em seis grupos de trabalho para debater temas específicos e por meio de processo dinâmico e gerador de diálogos colaborativos foi possível compartilhar conhecimentos e experiências e promover reflexões sobre formas de ação conjunta em prol da educação para a leitura no Brasil.
    O resultado está organizado em extenso relatório e pretende-se gerar um texto de consenso sobre estratégias e prioridades que apontem alianças para ações articuladas. 

    sábado, 19 de julho de 2014

    Especial 19oCOLE - Integração entre Matemática e Português confere novos sentidos à Alfabetização

    Data: 24 de julho das 10h30min às 12h
    Local: Auditório III do Centro de Convenções 

    Uma proposta de integração entre língua portuguesa e matemática na alfabetização no Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa

    Vamos discutir os princípios norteadores, algumas justificativas teóricas, experiências empíricas para a implementação, desafios e oportunidades da proposta de integração de Língua Portuguesa e Educação Matemática na formação continuada de alfabetizadores no contexto do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC).

    O modelo formativo proposto para o PNAIC 2014 que integra Linguagem e Educação Matemática
    Emerson Rolkousky e  Carlos Roberto Vianna – PNAIC-MEC

    A partir da experiência considerada exitosa do Pró-Letramento, a Secretaria de Educação Básica do Ministério de Educação - SEB/MEC lança o programa Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa com a adesão da quase totalidade dos municípios brasileiros. Um dos eixos de tal programa é a formação continuada de professores alfabetizadores, sendo que em 2013 a ênfase de tal formação foi em Linguagem. Sob demanda das Universidades parceiras a SEB/MEC possibilita que, em 2014, a formação em Linguagem não seja interrompida e se dê de forma conjunta com a Educação Matemática. Para tanto, oferece a oportunidade de, em um mesmo espaço e tempo, atuarem dois especialistas dessas áreas, na formação de Orientadores de Estudo. O objetivo desse artigo é discutir as percepções desses atores - especialistas e Orientadores de Estudo - acerca desse modelo formativo, bem como apresentar algumas recentes experiências refletindo sobre suas possibilidades e limitações.

    Fios condutores na elaboração da proposta alfabetizadora do PNAIC-Unicamp: elos de aproximação a língua portuguesa e a matemática
    Ana Lúcia Guedes-Pinto – PNAIC-UNICAMP

    Tendo em vista o trabalho desenvolvido no âmbito da formação continuada de professores do PNAIC/UNICAMP em 2013 com a língua portuguesa, procuro delimitar fios condutores de nossa atuação junto aos Orientadores de Estudos.  A partir desses fios, busco visualizar aproximações entre a Matemática e a Língua Portuguesa para a tecitura da proposta integradora assumida para a alfabetização no primeiro ciclo do Ensino Fundamental I.

    Linguagem natural e linguagem matemática na construção de conceitos matemáticos no Ensino Fundamental I
    Samuel Oliveira - IMECC-UNICAMP

    Diante da proposta do PNAIC e a partir das formações desenvolvidas com os formadores para atuarem em 2014 na formação de orientadores de ensino, apresento algumas justificativas teóricas e observações empíricas da pertinência da abordagem harmoniosa entre Língua Portuguesa e Matemática para a construção de conceitos matemáticos pelas crianças em acordo com os seus desenvolvimentos cognitivos.


    Local: Auditório III do Centro de Convenções 

    Especial 19o COLE - Sessão Especial Perspectivas da Leitura no Brasil - 22/07/2014


    Sessão Especial
    Perspectivas da Leitura no Brasil

    Dia 22/07/2014
    Moderadores:
    Luiz Percival Leme Britto - Universidade Federal do Oeste do Pará
    Alda Regina Tognini Romaguera - Associação de Leitura do Brasil/ Universidade de Sorocaba
    Antonio Carlos Rodrigues de Amorim
    Associação de Leitura do Brasil/FE Unicamp
    Horário: 13h45min às 15h
    Local: Auditório II do Centro de Convenções da Unicamp
    Tema: Movimento por um Brasil Literário
    Elizabeth Serra Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ)



    Horário: 15h às 16h30min
    Local: Auditório II do Centro de Convenções da Unicamp

    Tema: Empréstimo de eBooks: a revolução na palma da mão Galeno Amorim Observatório do Livro
    O início da era do empréstimo de eBooks por bibliotecas e escolas previsto para 2014, pode provocar um impacto sem precedentes nas políticas públicas de leitura no Brasil, com reflexos importantes na educação pública, em especial em locais com maiores dificuldades de acesso. Com a chegada da era digital ao mundo dos livros e das bibliotecas, os usuários não precisarão mais aguardar na fila até que o livro seja devolvido e terá ao seu alcance, em uma biblioteca que nunca fecha, um acervo muito mais amplo e diversificado. Em compensação, cada movimento seu enquanto leitor será observado de perto, traduzindo-se em relatórios completos para professores e redes de ensino sobre seus gostos e preferências, mas também suas dificuldades para a leitura (as palavras e expressões que desconhecem, por exemplo). As inovações tecnológicas podem causar uma verdadeira revolução na leitura, mas embutem uma séria ameaça caso, mais uma vez, a escola pública, e principalmente nas regiões mais pobres, fiquem de fora. A finalidade do projeto do Observatório do Livro e da Leitura que pesquisou professores, bibliotecários, dirigentes, alunos, editores e autores, entre outros é municiar as políticas públicas de leitura a fim de fazer com que as tecnologias digitais também sejam colocadas a serviço das populações tradicionalmente excluídas, que são as mais penalizadas pela falta de acesso à informação, ao conhecimento e às novas oportunidades da vida moderna.